Ticci-Toby - Experiência


Na semana passada, depois de uma festa de uns amigos,eu estava voltando para casa.

É claro que a maioria das pessoas iria achar a cidade assustadora durante a noite, enquanto o vento soprava fazendo as dobradiças rangerem. Passei debaixo de uma bandeira que balançava com o vento misterioso.

Mas eu sabia que essa cidade também era misteriosa.Mas não só tenho uma faca no bolso da minha blusa como também sou rápido e forte, então não me assusto facilmente.

Mas não pensei muito nisso, quando passei por um poste de luz e olhei para um beco onde muitas vezes eu correra com meus amigos.



Eu simplesmente dei uma rápida olhada e vi uma figura na parte de trás, que provavelmente procurava restos de comida no lixo ou algo assim.

Eu não vi o rosto da pessoa, mas eu estava atento quando a cabeça da pessoa se virou para o lado com um estalo, quase como uma coruja.

Eu recuei rapidamente. Choque e diversão iluminavam meu rosto. Acho que foi uma reação estranha para um adolescente ter, depois de ver um estranho em um beco. Mas acho que sou apenas estranho no geral.

Dane-se os drogados,por aqui são todos estranhos.

Eu ri com meu pensamento, e continuei descendo a calçada, minha botas clomping pisavam contra o cimento em um pequeno ritmo.

Eu estava ansioso para ficar sozinho em casa mais uma vez nesta semana, minha mãe estava trabalhando muito ultimamente,  me deixando com muito tempo livre em casa.

É de noite. Tudo a minha volta havia começado a ficar quente, enquanto eu estava flutuando pelo mundo confuso e escuro dos sonhos.

  Você sabe, aquela sensação tranquila, onde você sabe que está dormindo,e você simplesmente sente uma tranquilidade ao longo do sonho.

Está tudo em paz, e as imagens difusas perfeitamente confortáveis, começa a passar cenas de certas ocasiões, acompanhado pelo aquecimento e as batidas do meu coração e cenas estranhas como pequenos clipes de filmes pequenos. Não dormi por muito tempo, porque de repente sou acordado do meu sono.Abro os olhos, ja sentado na cama.Pisquei algumas vezes, ajustando meus olhos ao escuro.

Fico sentado ali por um momento, perguntando-me o que teria me acordado, quando estou prestes a me deitar e me enrolar nos  meus lençóis macios, um som chama minha atenção, franzi a testa.

 Crrrac-ccckk-crackack

Parecia ter sido em um lugar baixo, devem ter sido os gatos, provavelmente,tentando entrar em alguma coisa. Animais estúpidos.

Eu odiava quando os gatos me acordavam. Revirando os olhos,irritado eu me deitei de novo em meu colchão, pronto para dormir novamente.

O som não para.E,em vez de continuar em um padrão irregular,continua...estranhamente previsível.Comecei a ouvi-lo,cronometrando o som na minha cabeça,depois de alguns segundos eu comecei a ficar de saco cheio desse barulho monótono.

 Que porra é essa?

Sentei de novo,levando minha mão até minha faca na mesa da cabeceira da cama, eu envolvo meus dedos em torno dela, mas provavelmente eu estava exagerando, mas ainda sim, melhor prevenir doque remediar.

Estou tentando pensar em possíveis conclusões a respeito do que estava fazendo aqueles barulhos de estalos, até que de repente, eu
percebo.. Está ficando cada vez mais perto. Agarro minha faca com mais força. Ele está definitivamente chegando mais perto, quase
como se ele estivesse andando pelo corredor.

Andando.

Pelo.

Corredor.

Andando.


Essa única palavra parecia lançar um novo som em minha cabeça, e como uma sugestão, o leve som de passos lentos começou a percorrer na minha sala, levando em direção ao meu quarto. Agora eu já não tinha nenhuma dúvida em minha mente, havia alguém em  minha casa. Eu posso sentir um formigamento bruto se arrastando até a volta do meu pescoço, deixando o meu cabelo em pé. Minha visão ficou nítida, e o meu coração disparou e uma explosão de adrenalina tomou conta do meu corpo. Estou paralisado no meu lugar, como uma estátua de mármore, não me atrevendo a respirar, mas eu posso ver os meus lados se movendo por vontade própria. Meu batimento cardíaco é lento e barulhento, e eu posso sentir cada pulso reverberar através do meu corpo. Se ela ficar um pouco mais alta, eu tenho medo de que a pessoa do corredor possa ouvi-la.

Eu estava com vontade de mover o meu corpo para fora da cama, enquanto eu tentava pensar em algo através da névoa da minha mente.

O que eu faço? Fujo? Me escondo? Fico e embosco o meu invasor? Eu salto para fora da cama, e assim que o faço, eu vejo as sombras  dos seus pés pararem em frente a minha porta, a pequena fresta de luz que entra no meu quarto, agora tem duas pequenas manchas de sombra cobrindo-a. Me inclino em direção a minha cama.

A porta faz um rangido, e eu fico paralisado novamente, minha respiração parou e minha garganta dói. Por um momento, eu achei que

o meu coração também iria parar. Mas o meu sangue continua pulsando lentamente pelo meu corpo e um suor frio toma conta de mim.

As dobradiças fazem um leve rangido quando a porta termina de abrir por completo, e uma figura para no centro da porta. A minha  boca não funciona. Eu estou tentando gritar, gritar e gritar por socorro. Mas eu não consigo pronunciar as palavras. Estou paralisado.


Eu não deveria ter sido capaz de pensar tão profundamente, mas a figura parada no centro da porta desencadeou algo em minha  memória. Andando a pé para casa. O beco. A lixeira. O homem parado ali. A roupa que ele estava vestindo. Era a mesma figura que  estava parada diante de mim agora. O capuz azul escuro foi puxado para cima de sua cabeça. Mas sua pele pálida e acinzentada brilha
estranhamente através luz da lua que caiu sob minha janela. Os seus olhos são cobertos por um óculos com lentes cor de laranja. O colete cor de caqui foi pulverizado com sangue. Isso enviou outro arrepio elétrico pela minha espinha. Apertei os olhos, não sei o  que devo fazer. Minha mente não parava de implorar para mim me mover, mas os meus membros simplesmente não conseguiam obedecer ao meu cérebro.

"Não." Era tudo o que eu poderia dizer, e mais uma vez a minha boca se recusou a abrir.A figura era do sexo masculino. O seu rosto
estava escondido em quase todos os aspectos, óculos de proteção sob os olhos, capuz sob sua testa e alguma coisa estranha sob a boca e o queixo.
Ele caminhou para frente, balançando levemente, seus braços se contraíram para o lado duas vezes, quando ele deu um passo dolorosamente lento em minha direção. Ele levantou uma mão para a boca e colocou um dedo sobre os lábios.

 "Shhhhh."

Eu recuei contra a minha cama, pressionando minhas costas contra o poste de madeira da cama. Eu estava segurando a minha faca com  tanta força que minhas juntas estavam ficando brancas. Meus olhos de repente caíram sobre o objeto na mão do menino. Eu podia sentir minhas pupilas dilatando com o medo, pois eu vi uma arma muito mais avançada que a minha. E pela visão do sangue pingando de sua lámina, eu diria que ele tinha mais experiência também.

O intruso segurou um machado na mão. O sangue foi escorrendo para fora dele e espirrando no chão do meu quarto. Eu podia me mover.

E minha mão sobre a faca foi se afrouxando, antes que eu percebesse que a faca estava caindo da minha mão e fazendo um barulho  contra o chão de madeira dura. Engoli em seco quando o som chegou aos meus ouvidos.
Não!

"Shhhh..." Disse que a figura de novo, enquanto ele continuava sua jornada de encontrar-me no quarto. Assim que seus pés encontraram o chão novamente, com o pescoço quebrado para o lado em um ângulo desumano, eu podia ouvir o crepitar dos ossos contra seus tendões e o som enviou uma sensação de derrota através de mim. Eu não ia fugir. Eu não ia me mover. Eu ia esperar. E essa...
coisa ia se ver comigo. Meu coração estava como um trovão batendo contra o meu peito, minha visão turva por causa da minha falta de ingestão de oxigênio. Mas meus pulmões se recusavam a aceitar o ar.

A cabeça da figura agora estava a um ângulo de 50 graus do normal, e ele se contraiu ocasionalmente enquanto caminha até mim, nunca em um ritmo acelerado. Outro passo e o seu pescoço estalou para o outro lado, fazendo o som familiar dos ossos crepitando.

"Shhh!" ele disso mais uma vez, e mais um passo o levaria ao local que estava a um metro de distancia de mim. sua mão com seu machado estava subindo um pouco,minha visão estava girando. Meu corpo parecia pesado. Eu podia sentir os meus joelhos tremendo.

Inferno, eu podia sentir toda a minha agitação. O machado veio na minha direção, lentamente . E eu pude sentir a lâmina descansando contra o meu estômago, a lâmina simplesmente parada ali. sinto-me incapaz de me sustentar por mais tempo, e , em seguida, senti uma mão sobre o meu ombro, me segurando apenas um pouco, apenas tempo o suficiente para a lâmina cega atravessar a blusa do meu meu pijama e furar minha barriga. No mesmo instante a agonia tomou conta do meu corpo, e mais uma vez, eu senti uma combinação de terror e choque e medo. As estrelas na minha visão ficaram em preto e branco e meu mundo girou apenas por um breve segundo antes da dor tomar conta de mim, a última coisa que eu vi foi um par de sapatos de ponta prata, e uma piscina do meu próprio sangue, que acabou de sair para fora da sola desses sapatos.

E então meu mundo ficou escuro e dormente.

7 comentários:

  1. Isso foi digitado enquantoa pessoa morria?

    ResponderExcluir
  2. Se eu soubesse escrever algo assustador me sentiria no direito de criticar, mas como não é o caso, digo que gostei, porque é bem detalhada, não bem escrita, mas legal ^^
    Eu achei detalhada, as sensações, entende?
    É isso.

    ResponderExcluir
  3. Uau. Se fisse comigo eu diria :- ai meu deus, você é o Ticci Toby? Eu te amo, e se eu vou morrer agora eu estou feliz que seje você me matando.

    ResponderExcluir
  4. Por matar o cara, ele tava de boa -_-, não entendo esses assassinos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc n entende eles, mas eles entendem vc...

      Excluir