O Predador



Há quatro anos atrás, minha família se mudou para a cidade. Nós não poderíamos continuar no ritmo acelerado da cidade grande e nós éramos uma família rica e bem sucedida... Então, nós achamos que gostaríamos que ir para algum lugar remoto e pacífico.
Floresta Hayabi, zona oeste do Maine é onde estamos morando. Agora, em nossa família eu era filho mais velho, tinha o meu pai, minha mãe , um irmão e uma irmã.

As coisas estavam bem, sempre estávamos bem, tudo estava até bom demais, mas depois tudo mudou e não foi para melhor. Oh Deus, foi horrível, eu estou sozinho agora... E ... tenho certeza que serei o próximo. Então, para quem ouvir esta história... Eu espero que você nunca venha para cá... Ou que ele nunca vá para ai.



Estes são os meus últimos pensamentos e esta é minha terrível história...
Tudo começou quando a minha irmã foi na lagoa um dia, ela não voltou por quase uma hora, mas nós vivemos sozinhos aqui... ou assim pensávamos. Eu ainda escuto seus gritos às vezes, esse grito ensurdecedor de terror, e a cena do meu pai e irmão piscando olhares de terror extremo antes atravessarem da porta.

Eles voltaram, com muito sangue em suas calças e sapatos... Chorando descontroladamente. Eles não tinham encontrado nada dela, além de lascas de ossos, suas roupas rasgadas e uma poça de sangue. As coisas nunca foram as mesmas depois daquele dia. Mãe nunca mais disse uma palavra novamente depois de ver os restos mortais de sua filha .


O próximo foi meu pai. A nossa comida estava acabando e devido a neve, não podíamos ir para a cidade. Ele pegou sua espingarda e levou para o deserto em torno de nós. Ele não voltou no tempo que era previsto. Meu irmão e eu decidimos que iríamos procura-lo na manhã, não havia condições de sair agora.
Cerca de uma hora depois, eu estava cochilando em uma cadeira da cozinha, quando houvi um rosnado baixo gutural de fora da porta... depois um estrondo retumbante! BANG ! BANG ! na porta e então acordei assustado.


Um flash de uma criatura de pelo preto andando em duas patas correu pela minha janela ... Isso me congelou. Eu gritei no topo dos meus pulmões até que meu irmão correu para mim e perguntou o que estava acontecendo. Contei o que vi para ele e ele pegou um rifle e me entregou o outro, então gesticulou silenciosamente em direção à porta. Ele fez sinal para abrir, muito lentamente fiz e engasgou com medo.


Era nosso pai... ou o que restava. Seu corpo foi mutilado a extremos... braços foram arrancados assim como seu olhos e marcas de garras que pingava um vermelho carmesim. Meu irmão entrou em colapso em horror e fechou a porta fracamente. Ninguém mais saiu de casa. Minha mãe ainda não falava, ela só fracamente assentia ou sacudia a cabeça para se comunicar. Meu irmão evitava qualquer coisa que o lembrava da nossa família se partindo. Mas o que eu percebi é que o que quer que seja... coisa ... ele não parar até que tenha matado todos nós. Eu sinto isso.


Algumas semanas se passaram, nós vivemos com medo. Algumas noites ouvíamos aqueles rosnados horríveis e nos certificávamos de que ninguém adormecia naquela noite... Em vez disso, ficávamos com as armas na mão até o dia amanhecer. Certa manhã, depois de uma longa noite de paranoia, meu irmão proclamou que ele iria atrás suprimentos e ajuda na cidade. "Liberdade ou morte" disse ele. " Um deles acontece hoje."


Ele pediu para que fôssemos com ele e eu implorei para não ir, mas ele insistiu. Eu lhe disse que não iria, minha mãe apenas balançou a cabeça em silêncio. Ele disse que iria enviar para a ajuda quando chegasse à cidade e enquanto isso era para manter tudo bloqueado "Não se atreva a sair ao menos o nariz fora da porta!" Ele disse. Eu sei que eu era apenas 10 meses mais velho do que ele, mas eu me senti mal por ele ser o único que estava tendo atitude. Eu sabia que ia acontecer, eu sabia...
Naquela noite, ele saiu pouco antes de anoitecer totalmente, tendo a certeza de que a criatura não estava por perto e começou a caminhada de pesadelo para o carro. Ele chegou ao carro e abriu a metade porta congelada depois de alguns puxões violentos contra a alça. Foi então que ouvi o som que me enervou no local.

Ele virou a chave e ao mesmo do tempo o animal deixou as árvores do lado oposto meu irmão. A criatura devia ter quase 8 metros de altura com o rosto e o corpo de um lobo negro mutilado, mas caminhava com as próprias pernas... ou melhor, corria.


Meu irmão abriu os olhos de medo e quebrou seu pé sobre o pedal do acelerador. A ... coisa pulou para o carro e violentamente esmagou pela janela, meu irmão dirigia descontroladamente tentando fugir da criatura, mas ele bateu seu carro bateu em uma árvore e se isso não ainda não o matou, o animal chegou no carro e puxou o corpo ainda se contorcendo para fora do carro. A criatura olhou para mim através da janela de uma distância... antes de rasgar ao meio meu irmão com suas afiada garras.


A criatura caminhou lentamente em direção à porta... sabendo que ele queria que eu o temesse, ele sabia que eu estava congelado. Ele chegou à porta e eu abracei meu rifle apertado. Houve um baque e mais três tiros, embora eles foram lentamente desta vez. Bang Bang... Bang... Em seguida, ele gritou seu grito arrepiante, e correu para dentro da floresta. Eu não poderia abrir a porta para recuperar restos do meu próprio irmão ...

Eu não durmo desde então, eu só vigio a porta e ouço ele, esperando ele voltar. É só eu e minha mãe agora. Ela não come ou dorme ou bebe, ela não se move de sua cadeira há três dias. Até enquanto morreu, eu não acho que ela se moveu de novo. Foi uma longa noite.

Quatro dias sem dormir. Eu ouço os rosnados todas as noites desde a morte horrível do meu irmão. Mas esta noite, eles eram mais altos... era hoje... ele iria atacar, eu sabia disso. Eu carreguei a minha espingarda e esperou por ela pensando que ele viria através da porta ou da janela da cozinha. Eu estava errado. Minha mãe estava no outro quarto.



Já era tarde quando comecei a ouvir uma raspagem ao longo dos lados da casa. Quatro vezes ele circulou - ficamos presos e ele sabia disso. Ele parou e meu coração acelerou, como se estivesse em câmera lenta, percebi que ele parou um instante tarde demais... ao lado do quarto onde minha mãe estava. Eu sabia que meus medos eram verdadeiras quando ouvi o som desanimador da quebra janela para o outro quarto .
Eu estava enraizado, ouvi o apelo da besta e caí de joelhos... Eu o vi caminhar até minha mãe e de uma só vez tomou sua garganta... Eu senti a ultima batida de seu coração... isso foi apenas alguns minutos atrás... a raspagem de seus ossos esta começando de novo... se ele te encontrar, saia na primeira oportunidade... não olhe para trás... oh deus a raspagem parou...
Eu não tenho muito tempo. Estes foram meus pensamentos finais e os últimos que eu nunca queria lembrar... por favor preste atenção aaaahhhhh..